Centro Gis é Convidado de Honra do Eros Porto 2018

 

O Eros Porto elegeu este ano, como tema central, a transexualidade, tendo por isso como Convidado de Honra o Centro Gis, pelo seu papel e intervenção essenciais junto da população trans em Portugal.

O Centro Gis é um de vários projetos da Associação Plano i que, desde 2015, intervém nas áreas da igualdade e violência de género e da diversidade social. Disponibiliza a pessoas lésbicas, gays, bissexuais, trans e intersexo (LGBTI), a familiares e significant others, serviços gratuitos e especializados, nomeadamente aconselhamento jurídico, formação e consultadoria, bem como atendimento telefónico 24h. O seu âmbito de atuação prioritário é a violência doméstica e de género, integrando a rede nacional de apoio a vítimas de violência doméstica.

O nome do Centro Gis surge numa sentida homenagem a Gisberta Salce Júnior, uma mulher imigrante brasileira, transexual, seropositiva, toxicodependente, trabalhadora sexual e sem-abrigo que, em 2006, foi assassinada, depois de brutamente espancada e violada por um grupo de adolescentes no Porto. Só em 2017, o Centro Gis efetuou mais de mil atendimentos, contando atualmente com 155 utentes, dos quais mais de metade são pessoas trans.

Durante o Eros Porto 2018, para além da distribuição de material contracetivo e informativo, o Centro Gis vai ter um espaço dedicado às questões LGBTI, com técnicos/as especializados/as para prestar todas as informações e apoio.

O espaço de conferência do Eros Porto recebe ainda, na sexta-feira, dia 9 de março, às 22h, a palestra “A Transexualidade em Portugal”, com a Dra. Paula Allen, Coordenadora do Centro Gis e Psicóloga, e a Dra. Zélia Figueiredo, Psiquiatra e Terapeuta Sexual pela Sociedade Portuguesa de Sexologia Clínica (SPSC) e Terapeuta Familiar pela Sociedade Portuguesa de Terapia Familiar (SPTF).

 

Resposta à discriminação e violência

Criado com o intuito de responder aos problemas de discriminação e de violência existentes na zona norte do país e à carência de valências de atendimento especificamente orientadas para as vítimas LGBTI, o Centro Gis surgiu, em janeiro de 2017, como uma resposta estruturada financiada pelo Governo Português, através da Secretaria de Estado para a Cidadania e Igualdade e pela Câmara Municipal de Matosinhos. Assim, o Centro Gis é atualmente a única estrutura do norte do país a garantir um serviço gratuito e especializado a vítimas LGBTI.

Estrategicamente, ao nível da prevenção, da intervenção, da formação e da educação, o Centro Gis propõe-se a:

– Prevenir a violência doméstica entre pessoas do mesmo sexo e contra pessoas trans e intersexo;

– Reforçar o conhecimento sobre a violência doméstica entre pessoas do mesmo sexo e contra pessoas trans e intersexo;

– Disponibilizar serviços especializados de apoio psicológico, social, médico e aconselhamento jurídico, a vítimas de violência doméstica LGBTI, familiares e significant others;

– Formar públicos estratégicos com vista à sua capacitação em matéria de prevenção e intervenção no domínio da violência doméstica entre pessoas do mesmo sexo e contra pessoas trans e intersexo;

– Produzir e disseminar produtos científico-pedagógicos e informativos sobre a violência doméstica entre pessoas do mesmo sexo e contra pessoas trans e intersexo;

– Criar redes colaborativas de reflexão e de ação no domínio da violência doméstica entre pessoas do mesmo sexo e contra pessoas trans e intersexo;

– Estreitar as relações entre as entidades e os/as profissionais que atuam no contexto da violência doméstica entre pessoas do mesmo sexo e contra pessoas trans e intersexo;

– Envolver a sociedade civil na prevenção da violência doméstica entre pessoas do mesmo sexo e contra pessoas trans e intersexo;

– Reduzir o estigma social em torno da intimidade entre pessoas do mesmo sexo, trans e intersexo;

 

O Centro Gis pretende, ainda, através do seu departamento de formação e recursos, criar material informativo e pedagógico sobre questões de orientação sexual, identidade de género, igualdade de género e violência doméstica e de género para divulgação, sensibilização e prevenção. Outro ponto de caráter crucial será a partilha de um guia de boas práticas entre ONGs, como uma mais-valia para todos os intervenientes, promovendo a eficiência, qualidade e coerência dos serviços prestados.

Apesar de não estar previsto inicialmente, o Centro Gis promoveu a criação do Conselho Consultivo para as Questões LGBTI e assume a sua presidência. Este conselho reúne atualmente uma grande parte de associações, coletivos e pessoas (académicos/as/investigadores/as) que trabalham em prol dos direitos das pessoas LGBTI, criando-se uma rede de trabalho muito completa e frutuosa.

Também ao nível da prevenção houve uma clara aposta, uma vez que foi criada uma atividade de promoção da saúde e prevenção das infeções sexualmente transmissíveis, que apoiada pela Direção Geral de Saúde, tem permitido à equipa do Centro Gis realizar campanhas de distribuição de preservativos e gel lubrificante em locais de diversão noturna do roteiro LGBTI do norte.

 

Details

Eros Porto 2018 | Centro Gis é Convidado de Honra do Eros Porto 2018
class="pirenko_portfolios-template-default single single-pirenko_portfolios postid-2714 samba_theme samba_left_nav samba_left_align samba_responsive wpb-js-composer js-comp-ver-4.12 vc_responsive"