[prkwp_styled_title prk_in=”Associação para o Planeamento da Família (APF)” title_size=”Medium” samba_show_line=”No”][prkwp_spacer size=”15″]

A Associação para o Planeamento da Família (APF) é a Convidada de Honra e organização homenageada do Eros Porto 2019 – Salão Erótico do Porto, pelo seu papel na promoção do direito à Educação Sexual em Portugal.

 

Para além das atividades de sensibilização que esta associação já realiza habitualmente no Eros Porto, vai estar no espaço Sex(y)Talk, na sexta-feira, 8 de março, pelas 19h, para a conferência sobre o tema “O Direito à Educação Sexual”.

 

Sobre a APF

A Associação para o Planeamento da Família (APF) foi constituída em 1967 com a missão de ajudar as pessoas a fazer escolhas livres e conscientes relativamente às suas vidas sexuais e reprodutivas e promover a parentalidade positiva. Intervém assim na área da Saúde e Direitos Sexuais e Reprodutivos.

 

É uma Instituição Particular de Solidariedade Social (IPSS) com Finalidades de Saúde, reconhecida como Organização Não-Governamental para o Desenvolvimento (ONGD) e como Associação da Família. A APF é a única Associação portuguesa membro da International Planned Parenthood Federation (IPPF), o que pressupõe o cumprimento de recomendações critérios de qualidade estabelecidos internacionalmente a nível da intervenção em SDSR.

 

De modo a responder às necessidades de todos/as a nível de SDSR, a APF tem um funcionamento descentralizado. Existe uma Sede Nacional em Lisboa e 6 delegações regionais: Norte, Centro, Lisboa, Alentejo, Algarve e Madeira.

 

A APF estrutura a sua intervenção nas seguintes áreas:

 

  1. Educação para a saúde sexual e reprodutiva: promovendo a educação para a saúde e direitos sexuais e reprodutivos, através de programas de intervenção em proximidade nas escolas e nas comunidades e junto de grupos vulneráveis, realizando campanhas, produzindo e disseminando materiais educativos e informativos, intervindo na comunicação social.
  2. Qualificação, formação e apoio técnico: capacitando profissionais de áreas diversas – saúde, educação, mediação comunitária e familiar, organismos de polícia criminal – para reforçar a intervenção nas temáticas já referidas, realizando ações e programas de formação e ações de aconselhamento técnico;

 

  1. Prestação de cuidados de saúde e de apoio social: disponibilizando serviços de apoio aos jovens, às famílias e a grupos vulneráveis, através das nossas linhas de ajuda, consultas, das nossas unidades móveis, das nossas escolas de pais e dos nossos espaços comunitários;

 

  1. Informação, comunicação e conhecimento: produzindo conhecimento nas nossas prioridades de ação, quer em termos de diagnóstico quer na invenção de novos instrumentos de intervenção disseminando-os através do nosso website e de eventos técnicos e científicos.

 

  1. Advocacy: Intervindo nas políticas públicas em torno destas temáticas, promovendo o debate e colaborando com os decisores políticos e técnicos na área dos direitos sexuais e reprodutivos.

Deixe uma resposta